Sensibilização Pública->

   

Autoridade Nacional de Proteção Civil

O Homem ocupa o planeta, organizado em sociedades cada vez mais complexas, numa aparente harmonia com a natureza, mas sujeito a riscos e a fenómenos naturais intensos que podem comprometer o equilíbrio entre o ambiente natural e o ambiente social.
  
As sociedades são vulneráveis aos fenómenos naturais, e aos riscos associados, devendo estar preparadas para fazer face a esses fenómenos, muito embora o grau de preparação de cada sociedade seja variável. Desta forma o mesmo tipo de fenómeno, ocorrendo com a mesma intensidade em sociedades diferentes, pode causar grandes disfunções numa, e não afectar a outra.
  
Sendo uma catástrofe um processo de rotura entre o sistema social e o ambiente natural, deve referir-se uma catástrofe natural quando esta afecta, direta ou indiretamente, a estrutural social de forma significativa. Os riscos naturais a que estamos sujeitos são diversos, podendo ocorrer ciclicamente na mesma região.
  
Durante muito tempo as catástrofes representavam fenómenos de origem natural, contudo a evolução tecnológica, o surgimento de novas indústrias e a utilização de substâncias perigosas provocaram o aparecimento de um novo tipo de acontecimento catastrófico: os acidentes tecnológicos.

Os acidentes tecnológicos, com origem na atividade humana, são acontecimentos repentinos e não planeados, causadores de danos graves no Ambiente e no próprio Homem.


»  Sismos
» Cheias
» Incêndios florestais - prevenção
» Incêndios florestais - autoproteção
» Precipitação intensa
» Trovoadas
» Ondas de calor
» Vagas de frio
» Tornados
» Deslizamento de terras
» Segurança no local de trabalho
» Incêndios em casa
» Gás
» Acidentes rodoviários
» Segurança em espaços públicos