Jardim da Cova da Piedade->

Jardim da Cova da Piedade  - pormenor de coreto e jardim envolvente

Jardim da Cova da Piedade

Situado no centro da Cova da Piedade, junto à Avenida 23 de Julho, este jardim com 5300 m2 de área representa um recanto de subtileza e estilo, muito apreciado pela população que ali pode experimentar um contacto mais próximo com a Natureza.

Um parque infantil, dotado com os brinquedos fundamentais para os jogos das crianças, e um mobiliário urbano moderno são elementos que tornam este espaço num local que consegue transmitir boas sensações tanto a miúdos como graúdos.

 Entre canteiros de flores elegantes e sombras de árvores que arrefecem os bancos de madeira onde apetece sentar, o Jardim da Piedade marca o seu centro através de um coreto em ferro forjado, característico da Arquitectura do Ferro do Século XIX. 

A beleza do coreto é adjuvada pela traça dos edifícios, que marcam o limite do jardim, possibilitando a quem visita este espaço uma verdadeira viagem no tempo até ao período das Revoluções Liberais entre Absolutistas e Miguelistas.

As linhas delicadas do Palácio da família Gomes e a imponência romântica do Chalet Ribeiro Telles, um edifício inspirado na arquitectura do Norte da Europa do século XIX,  são vestígios perenes de um tempo antigo, no qual a freguesia da Cova da Piedade era um destino frequente das famílias burguesas de Lisboa em busca da qualidade das praias do Alfeite.

A Câmara Muncipal de Almada, proprietária do Chalet Ribeiro Telles, cedeu este edifício à Associação de Professores do Concelho de Almada em Maio de 2007 para a criação da futura Casa do Professor. Após um processo de requalificação da propriedade, esta nova sede representará um pólo cultural de grande importância para a comunidade de professores do concelho de Almada.

 As motivações que levam a visitar o Jardim da Cova da Piedade podem ter vários contornos, mas partilham entre si uma emoção final de sabor muito especial.

Seja para encontrar um refúgio de tons florais, com um toque de história contemporânea, ou apenas para conhecer um espaço de desafogo onde o bulício citadino se atenua mesmo estando tão perto, ambas as possibilidades são motivos que justificam marcar um encontro com este jardim no coração da Piedade.
 
Referências bibliográficas : Flores, Alexandre , Almada Antiga e Moderna - Roteiro Iconográfico; Câmara Municipal de Almada, 1985, 190 págs, 3 volumes

História e Reconstrução
Espaços e Serviços