Estudo de Enquadramento Estratégico da Costa da Trafaria - Participação Pública->


Costa da Trafaria - Participação Pública

A metodologia inovadora adotada pelo Município na elaboração dos instrumentos de planeamento dá especial relevância ao processo de participação pública. Assim, a realização de Fóruns de Participação amplamente participados pela população local e de reuniões com atores-chave e decisores locais, demonstra ser uma mais-valia significativa na qualidade final dos vários processos de planeamento.

 
Neste estudo o sistema de participação incluiu contactos personalizados com os diversos atores previamente identificados (entrevistas), reuniões da Comissão Local de Acompanhamento, reunião com decisores locais (Câmara, Junta e Assembleia Municipal) e a realização de um fórum (aberto a todos os interessados) na fase de “diagnóstico” e um outro já na fase de “cenários de desenvolvimento sustentável” (ambas muito participadas).

Para além das inúmeras reuniões de trabalho realizadas destacam-se os seguintes fóruns de participação pública:
 

» 1.º Fórum - realizado no dia 15 de outubro de 2004, nas instalações da Junta de Freguesia da Trafaria, contou com a presença de cerca de 30 participantes, líderes de opinião e representantes de associações locais. Foram ainda convidados para a sessão cerca de 65 personalidades locais, que tinham sido entrevistados pela equipa da FCT/UNL, assim como outros atores que tinham sido contactados no contexto da realização das entrevistas. A sessão destinou-se a apresentar o resultado das cerca de 50 entrevistas realizadas entre maio e julho de 2004 sobre zona de inserção do Estudo de Enquadramento Estratégico.
 

Costa da Trafaria - Participação Pública
» 2.º Fórum - realizado no dia 29 de abril de 2005, nas instalações da Junta de Freguesia da Trafaria, contou com a presença de 18 participantes, representantes das 22 entidades que constituem a Comissão Local de Acompanhamento. Esta sessão visou apresentar e debater a visão para a área de intervenção, os objetivos e os projetos considerados “âncora” para a valorização ambiental e renovação urbana da zona de intervenção.